Pesquisadores do Doutorado Acadêmico de Inovação trocam experiências em seminário | Universidade Feevale

Pesquisadores do Doutorado Acadêmico de Inovação trocam experiências em seminário

05/12/2019 - Atualizado 24/06/2020 14h28min

Seminário DAI

Encontro, que aconteceu no Câmpus II da Universidade Feevale, também contou com participantes de outras instituições

Nesta terça-feira, 3, a Universidade Feevale promoveu o I Seminário de Acompanhamento do Programa de Doutorado Acadêmico de Inovação. Com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o evento teve o propósito de contribuir para o aumento da capacidade inovadora, da competitividade das empresas e do desenvolvimento científico e tecnológico. No Câmpus II da Feevale, em Novo Hamburgo, foi realizado um networking entre os doutorandos, as empresas participantes do programa na Feevale e os convidados Joana Baleeiro Passos, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), e Débora de Freitas Andrade e Carlos Eduardo da Silva Ribeiro, da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), que apresentaram o DAI em suas Instituições.

O Seminário contou com abertura da diretora de Inovação da Feevale, Daiana de Leonço Monzon, que ressaltou a importância do Programa de Doutorado Acadêmico de Inovação (DAI) e desse momento de troca entre os seus pesquisadores. “Para nós, é uma satisfação fazer com que a empresa traga um problema real para os acadêmicos resolverem, e que isso possa voltar para a empresa na forma de um produto passível de ser comercializado. É por isso que estamos apostando no Doutorado Acadêmico de Inovação, que é um marco dentro da Universidade, pois, além de propor o desenvolvimento de soluções para problemas reais, conta com o apoio de um órgão de fomento, o CNPq, e com apoio de empresas parcerias, integrantes do Feevale Techpark”, afirmou.

De acordo com Vanusca Dalosto Jahno, professora do Programa de Pós-graduação em Qualidade Ambiental e orientadora do bolsista Michel Flach, que desenvolve projeto em parceria com a empresa Marina Tecnologia, o I Seminário do DAI vem de encontro a todos os projetos em parceria com as empresas do parque tecnológico. “O objetivo é fazer novas descobertas, desenvolver novos materiais, novas tecnologias, para solucionar problemas das indústrias. Isso é muito importante para o PPG, visto que a interação entre empresa e universidade precisa aumentar, por ser ainda muito incipiente no Brasil”, disse.

Para as empresas, programas como o DAI são de grande valia para transformar uma ideia em projeto, e esse projeto em produto final. “O programa vem com um grande peso para a empresa, para suprir uma demanda, principalmente, de conhecimento”, ressaltou Diego Petkowicz, representante da Marina Tecnologia, que está estabelecida na unidade de Campo Bom do Feevale Techpark. Michel Flach, bolsista nesta empresa, salientou a importância da interação entre indústria e universidade para que, dentro do meio acadêmico, seja possível desenvolver soluções para as indústrias. “É importante esse retorno, para que a empresa invista novamente na universidade e para que exista esse crescimento mútuo: a empresa necessita da tecnologia; a universidade possui esse conhecimento e concede esse retorno em processos e em produtos. É ótimo, ao final do projeto, poder entregar os resultados que a empresa solicita”, completou.

Veja fotos do evento:

I Seminário de Acompanhamento do Programa de Doutorado Acadêmico de Inovação


Sobre o DAI

O Programa Doutorado Acadêmico de Inovação (DAI) é realizado por meio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Na Universidade Feevale, é elaborado pela pela Diretoria de Inovação da Feevale e pela Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão, em convênio com empresas do Feevale Techpark. Por meio do programa, foram disponibilizadas cinco bolsas para pesquisa no âmbito do doutorado do Programa de Pós-graduação em Qualidade Ambiental da Instituição. Os bolsistas já estão desenvolvendo projetos de tese práticos, envolvendo resoluções de problemas reais alinhados às demandas especificadas pelas empresas parceiras da Feevale. Confira as empresas, os bolsistas e orientadores participantes do DAI na Feevale:

Bolsa 1

Empresa parceira: Marina Tecnologia

Objeto de estudo: Desenvolvimento de um laminado (tipo compensado) usando resíduos agrícolas como a casca do arroz e Breu. Bolsista: Michel Vinicius Flach / Orientadora: professora Vanusca Dalosto Jahno

Bolsa 2

Empresa parceira: Dublauto Gaúcha

Objeto de estudo: Desenvolvimento e caracterização de sistemas microparticulados para aplicação sustentável na área têxtil. Bolsista: Daiene Dorfey / Orientadora: professora Vanusca Dalosto Jahno

Bolsa 3

Empresa parceira: FK Biotec

Objeto de estudo: Desenvolvimento de micro e nanoaromas para recobrimento polimérico de frutas. Bolsista: Mônia Aline Hunger Geiger / Orientadora: professora Vanusca Dalosto Jahno

Bolsa 4

Empresa parceira: INOVABiotec

Objeto de estudo: Avaliação da influência de desreguladores endócrinos, agentes físicos e hipóxia sobre a regeneração e o potencial de diferenciação de células-tronco mesenquimais. Bolsista: Bruna Saraiva Hermann / Orientadora: professora Juliane Deise Fleck

Bolsa 5

Empresa parceira: Neovech

Objeto de estudo: Desenvolvimento de composições utilizando larvicida biológico para o combate de insetos transmissores de doenças. Bolsista: Fágner Henrique Heldt / Orientador: professor Fernando Rosado Spilki