Fórum do Comung: mesa-redonda propõe pacto pela inovação | Universidade Feevale

Fórum do Comung: mesa-redonda propõe pacto pela inovação

04/10/2019 - Atualizado 17h54min

Debate contou com a presença do secretário estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia do RS

Mesa-Redoda

A mesa-redonda do VII Fórum de Gestão e Inovação do Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas (Comung), que aconteceu nesta quinta-feira, 3, na Universidade Feevale, propôs um pacto pela inovação. Com a participação do secretário Estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, Luís da Cunha Lamb, também participaram do debate, mediado pelo reitor da Feevale, Cleber Prodanov, o vice-presidente do Conselho Fiscal do Comung e reitor da Univates, Ney Lazzari, o gerente de Inovação da Randon, Fábio Makita Kiyan, e o diretor-executivo representante do Instituto de Apoio à Inovação, Ciência e Tecnologia (Inaitec), Diego Chierighini.

Chierighini contou sobre o trabalho desenvolvido no Inaitec, da cidade de Palhoça, em Santa Catarina, que utiliza a inovação para criar um ciclo positivo e promover o desenvolvimento econômico das cidades do futuro. Na sequência, Lazzari compartilhou a sua experiência sobre os ecossistemas da inovação durante as viagens que realizou para a Espanha e a Itália.

O gerente da Randon mostrou a experiência realizada na empresa, por meio do Instituto Hercílio Randon (IHR). Conforme Kiyan, a inovação está sendo utilizada na organização para criar novas receitas.

Estamos ajudando a criar startups que possam ajudar o grupo, para impulsionar novos negócios, com uma cultura mais receptiva e estratégias de longo prazo”, disse Fábio Makita Kiyan.

Já o secretário do RS analisou o atual cenário da economia, em que, segundo ele, tudo está sendo afetado pela evolução tecnológica, e aproveitou para apresentar o Inova RS, programa do governo Estadual que visa fortalecer o desenvolvimento regional e o mercado empreendedor.

Queremos construir uma economia de inovação que gere riqueza, isso está no centro da nossa estratégia. Nossa economia ainda tem uma base tradicional, por isso, buscamos que essa economia de base tecnológica ultrapasse a atual”, ressaltou Lamb.