Egresso da Feevale auxilia na construção de hospital emergencial em Canoas | Universidade Feevale

Egresso da Feevale auxilia na construção de hospital emergencial em Canoas

25/03/2020 - Atualizado 26/03/2020 08h50min

hospital emergencial

Crédito foto: Anderson Parreira

Novos leitos foram projetados para tratar pacientes diagnosticados com Covid-19

O egresso do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Feevale, Estêvan Castilhos, está auxiliando na construção de estruturas de emergência que abrigarão novos leitos nas Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) Boqueirão e Rio Branco, em Canoas. Castilhos, juntamente a empresas colaboradoras,está executando um projeto, desenvolvido por instituições parceiras e profissionais da área da Saúde, para construir esse ambiente para o atendimento da população do município que esteja com sintomas do novo Coronavírus. Os espaços temporários, que contam com dois consultórios, sala de triagem, copa e área para descanso, têm 800m² e terão capacidade para atender 30 pacientes.

Em 2018, o ex-aluno desenvolveu, em seu Trabalho Final de Graduação (TFG), um projeto de hospital emergencial. “No início do ano, eu estava preocupado com a situação em que a China se encontrava, então com a bagagem técnica do meu TFG e com o auxilio dos meus colegas da empresa F7 Eventos, o trabalho foi concluído e encaminhado para as prefeituras do interior do Estado. Entretanto, as prefeituras resolveram esperar para adotar essas medidas”, explica. “Eu acredito que a Arquitetura pode transformar a vida das pessoas. O arquiteto tem diversas funções, uma delas é antecipar problemas e encontrar soluções”, finaliza o arquiteto.

O professor da Universidade Feevale, Eduardo Schneck, que foi o orientador do projeto do egresso, conta que a experiência de Castilhos com esse tema foi fundamental para embasar de forma teórico-técnica o trabalho dele, hoje. “Ao escolher desenvolver um hospital emergencial, ele se propôs a refletir e a buscar soluções para problemas que geram crises humanitárias: guerras, acidentes, terremotos e pandemias, entre outros”, afirma.