Universidade Feevale representada em comitê ministerial de combate ao Coronavírus | Universidade Feevale

Universidade Feevale representada em comitê ministerial de combate ao Coronavírus

25/03/2020 - Atualizado 14h47min

Spilki no laboratório

O pesquisador no Laboratório de Microbiologia Molecular da Instituição

Fernando Spilki é o único pesquisador atuante na região Sul a integrar o Comitê de Especialistas Rede Vírus, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações

O professor do mestrado em Virologia da Universidade Feevale, Fernando Spilki, foi nomeado, pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, para compor o recém-formado Comitê de Especialistas Rede Vírus – MCTIC. O grupo reúne pesquisadores em uma nova instância da Rede Vírus para lidar no enfrentamento da pandemia de Coronavírus e, também, preparar o Brasil para novas pandemias. Spilki é o único pesquisador atuante na região Sul a integrar o Comitê.

Conforme o professor Spilki, a função do comitê é propor ações calcadas na pesquisa, na ciência e na inovação brasileiras para combater essa e outras pandemias. Neste momento, a rede está unida, também, para assessorar o MCTIC nos editais e chamadas, entre outras iniciativas que serão feitas em um futuro próximo, para poder dar uma resposta e poder auxiliar no combate ao Coronavírus e outros. “É um grande privilégio estarmos junto de grandes pesquisadores, poder ouvir a experiência deles e participar dessas ações, valorizando o que a ciência brasileira pode fazer para ajudar o país, perante uma crise tão grave”, afirma.

Sobre a Rede Vírus

A Rede Vírus MCTIC, criada pela portaria MCTIC nº 1010/2020 do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, funcionará como um comitê de assessoramento estratégico que atuará na articulação dos Laboratórios de Pesquisa, com foco na eficiência econômica e na otimização e complementaridade da infraestrutura e de atividades de pesquisa que estão em andamento, em especial com o Coronavírus e Influenza (gripe). O objetivo é aprimorar o conhecimento científico que está sendo produzido no país com relação ao tema e auxiliar a transformação desse conhecimento em resultados práticos para a sociedade.

Sobre o professor Fernando Spilki

Possui graduação em Medicina Veterinária e mestrado em Ciências Veterinárias pela pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), e doutorado em Genética e Biologia Molecular, pela Universidade Estadual de Campinas. É presidente da Sociedade Brasileira de Virologia (SBV) e coordenador do curso de Medicina Veterinária da Universidade Feevale, bem como editor Associado da Área de Virologia Veterinária do Brazilian Journal of Microbiology e Academic Editor, na área de Veterinary Medicine, do periódico PeerJ.