Projeto gaúcho estreia em um dos maiores festivais internacionais de animação | Universidade Feevale

Projeto gaúcho estreia em um dos maiores festivais internacionais de animação

19/06/2020 - Atualizado 15h45min

Jardim Rua13

Dirigido por doutoranda da Universidade Feevale e com parceria da Produtora TV Feevale, “O Jardim da Rua 13” segue no evento até dia 30 deste mês

O Jardim da Rua 13, projeto de longa-metragem de animação de três produtoras gaúchas com parceria da TV Feevale estreia, neste mês, em um dos maiores eventos da animação mundial, o Festival Internacional de Cinema de Animação de Annecy, em sua área de mercado, o International Animation Film Market (Mifa). O evento, sediado na França, segue até o dia de 30 de junho, em ambiente virtual por conta da pandemia de Covid-19. O Jardim da Rua 13 faz sua estreia em busca de parceiros estratégicos para distribuição global, novas janelas e fundos de financiamento para sua realização.

Dirigido pela doutoranda em Processos e Manifestações Culturais da Feevale, Daniela Israel, o longa-metragem é uma coprodução entre Brasil, por meio das produtoras Bactéria Filmes, Druzina Content e Armazém, e Uruguai, a partir da Circular Media. O projeto conta com a parceria da Universidade Feevale, por meio da Produtora TV Feevale, a partir de convênio de cooperação tecnológica firmado em 2019. É uma aventura musical de 52 minutos para crianças de 6 a 9 anos, em estágio de pré-produção, que tem 80% de seu financiamento levantado.

De acordo com o coordenador da Produtora TV Feevale e professor do curso de Produção Audiovisual da Feevale, Francisco Machado Pereira, é importante atuar como parte exibidora de um projeto que será divulgado nacional e internacionalmente, tanto para a Instituição, como para o curso de Produção Audiovisual. “Esse convênio proporciona uma triangulação entre o mercado, a Universidade e os acadêmicos, que poderão participar do projeto, futuramente. Para nós, como produtora, esta é uma primeira parceria, que abrirá portas para que outras nesse molde sejam feitas, a fim de que possamos ser um canal exibidor de conteúdo nacional de qualidade”, afirma

Em 2018, o projeto participou de um laboratório dentro do AnimaForum, durante o AnimaMundi. No mesmo ano, participou do Animation! Training Sessions, programação que integrou o evento VentanaSur, em Buenos Aires, Argentina. Em 2019, durante o Gramado Film Market do 47º Festival de Cinema de Gramado, as produtoras brasileiras conheceram a Circular Media, do Uruguai, que passou a integrar a equipe do projeto. Ainda em 2019, o projeto foi contemplado por meio do edital de Coprodução Internacional, via Fundo Setorial Audiovisual /Agência Nacional do Cinema/Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (FSA/Ancine/BRDE), garantindo parte do orçamento para sua realização. Agora, em 2020, destaca-se no estande V.003 em Annecy, pertencente à Druzina Content.

O Jardim da Rua 13 conta a história da pequena órfã Aranha, que quer acabar com a carreira musical de Rosa para se tornar a única estrela no jardim. Dias antes do Festival da Primavera, ela cria um plano que causa confusão, ameaçando a música para sempre. Arrependida, ela precisa salvar o festival com a ajuda daqueles a quem prejudicou. Daniela Israel, que também é produtora executiva da Bactéria Filmes, conta que sua estreia como diretora é uma homenagem à cultura popular e à diversidade que constituem o povo brasileiro. “Em tempos nos quais imperam discursos negativos sobre o Brasil, destacar a beleza da brasilidade é imprescindível para ampliar os laços afetivos das crianças com seu próprio país, para que possam vivenciá-lo com orgulho no momento presente e possam projetá-lo com ânimo e esperança no futuro", afirma.

O longa-metragem é uma criação da gaúcha Viviane Juguero que, também, é roteirista do filme. Dramaturga, pesquisadora, atriz e cantora, com mais de 25 anos de experiência na criação e desenvolvimento de obras voltadas para a temática negra e o folclore brasileiro, é uma das autoras estudadas no curso do Itaú Cultural Dramaturgia Negra: a palavra viva. “Crianças negras e pardas são a maior população infantil do Brasil. Como elas podem se sentir identificadas em um ambiente artístico em que dificilmente estão representadas? E as outras crianças, que também precisam crescer cercadas pela diversidade para perceber a beleza de diferentes pessoas e culturas? Bem, o público de O Jardim da Rua 13 terá essa oportunidade”, enfatiza.