Inova RS forma comitê estratégico das regiões Metropolitana e Litoral Norte | Universidade Feevale

Inova RS forma comitê estratégico das regiões Metropolitana e Litoral Norte

07/11/2019 - Atualizado 17h53min

Comitiva

Foi formado na tarde desta quinta-feira, dia 7, na Universidade Feevale, o comitê estratégico das regiões Metropolitana e Litoral Norte do programa Inova RS. Coordenado pelo reitor Cleber Prodanov, o comitê será responsável, juntamente com o comitê técnico, que é coordenado pela diretora de Inovação da Feevale, Daiana de Leonço Monzon, por identificar potenciais talentos e capacidade de produção de conhecimento, bem como mapear o ecossistema de inovação dessas regiões, entre outras ações.

Inicialmente, o comitê estratégico será composto, além de Prodanov, por representantes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Liane Ludwig), do Sebrae (Marco Aurélio Copetti e Paulo Bruscato), das prefeituras de Sapiranga e São Jerônimo (Fernando Hanauer e Rudinei Santos) e do Hub Transforma RS (Ronald Krummenauer). Outras lideranças deverão se juntar ao grupo, que terá nova reunião na primeira semana do mês de dezembro.

No encontro desta quinta-feira, o comitê técnico apresentou a metodologia de trabalho. Caberá ao comitê estratégico validar o processo, no qual será mapeado o ecossistema e, assim, diagnosticada a vocação e a realidade dessas duas regiões que integram o Inova RS.

Fico muito feliz por representar as universidades e as instituições de ciência e tecnologia das regiões Metropolitana e Litoral Norte. Queremos potencializar as redes já existentes e contribuir com o Rio Grande do Sul e com o Brasil, cooperando e inovando cada vez mais”, afirma Prodanov.

Sobre o Inova RS

O Rio Grande do Sul é o quinto Estado brasileiro mais inovador e o quarto colocado em competitividade global em setores tecnológicos, conforme o Índice Fiec de Inovação dos Estados de 2018. O Inova RS pretende estimular o investimento em inovação tecnológica para potencializar o crescimento do Estado e para torná-lo um lugar capaz de gerar, reter e atrair empreendedores, negócios e investimentos intensivos em conhecimento. A ideia é que, até 2030, o Estado seja referência global em inovação como estratégia de desenvolvimento local.

O Inova RS visa, assim, incluir o Rio Grande do Sul no mapa global da inovação a partir da construção de parcerias estratégicas entre a sociedade civil organizada, setores empresarial, acadêmico e governamental, em oito regiões representativas do Estado: Metropolitana e Litoral Norte; Sul; Fronteira Oeste e Campanha; Central; Noroeste e Missões; Produção e Norte; Serra e Hortênsias; e Região dos Vales.

O programa propõe a construção de uma agenda comum entre os atores dos ecossistemas de inovação, que articule projetos voltados ao desenvolvimento econômico e social dessas regiões. A intenção é estimular o investimento em inovação tecnológica para potencializar o crescimento do Estado e para torná-lo um lugar capaz de gerar, reter e atrair empreendedores, negócios e investimentos intensivos em conhecimento.

Desenvolvido pela Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia do Estado, em parceria com representantes da quádrupla hélice da inovação de diferentes regiões do Rio Grande do Sul, o Inova RS teve sua metodologia inspirada em projetos já existentes no Brasil e em outros países, os quais apresentaram resultados positivos quanto ao desenvolvimento econômico e social das regiões onde estão inseridos. Entre os seus objetivos estão:

  • Conectar o Rio Grande do Sul para que seja referência global em inovação como estratégia de desenvolvimento local;
  • Fomentar a nova economia e promover a inovação em setores tradicionais;
  • Criar um ambiente de negócios mais ágil no Estado;
  • Impulsionar a articulação regional e a participação social nesse movimento, por meio de novas políticas públicas inovadoras;
  • Fortalecer o desenvolvimento regional alinhado às políticas públicas e atividades empreendedoras mais vocacionadas em cada região do Estado;
  • Aumentar a capacidade de investimento do Estado;
  • Qualificar o aprendizado para a nova economia.