Projetos sociais da Feevale promovem a conscientização sobre riscos e desastres naturais | Universidade Feevale

Projetos sociais da Feevale promovem a conscientização sobre riscos e desastres naturais

26/09/2019 - Atualizado 13h11min

Pead


A Universidade Feevale realiza o Programa Educação Ambiental em Desastres (Pead), que desenvolve ações de educação ambiental para prevenção de danos, riscos e desastres ambientais em áreas de vulnerabilidade socioambiental dos bairros Canudos, Diehl, Santo Afonso e São José, de Novo Hamburgo. O programa é composto pelos projetos sociais aTUAção em Desastres Naturais, voltado para professores e técnicos de escolas públicas e/ou Organizações Não Governamentais (ONGs) e o Habitar Legal, direcionado para moradores.

O programa conta com a atuação de professores e estudantes, entre voluntários e bolsistas, dos cursos de Arquitetura e Urbanismo e Engenharia Civil (território, habitação, infraestrutura), Ciências Biológicas (diagnóstico e ações de educação ambiental), Ciência da Computação (criação de ferramentas e uso de tecnologias digitais), Direito (questão fundiária e de Direitos Humanos) e a área de Gestão Ambiental (prevenção de danos e riscos e educação ambiental).

Para a coordenadora do Pead, Danielle Martins, trabalhar essas temáticas é um desafio para o mundo científico. “Exige um conhecimento acadêmico que só é eficiente somado com a vivência da população, resultando em uma formação mais igualitária e uma produção científica mais condizente com a realidade. É fundamental que as pessoas conheçam tecnicamente o território que residem, e por meio das oficinas, eventos e parcerias, o programa tem contribuído fortemente para a discussão e preparação comunitária”, diz. A docente acrescentou que a extensão tem um papel primordial na interface das instituições científicas com a comunidade e acredita que é por esse caminho que a Universidade ingressa no contexto social. Saiba mais sobre cada um dos projetos:

Pead2

aTUAção em Desastres Naturais

O programa Cidades Mais Resilientes da Organização das Nações Unidas (ONU) orienta municípios a criarem programas para treinamento, educação e sensibilização pública, desenvolvendo sistemas de alerta, alarme e respostas efetivas aos efeitos de desastres naturais. Somado a isso, um estudo do Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres (Ceped) apontou que Novo Hamburgo possui 11 áreas em cinco bairros que sofrem com inundação, enxurradas e deslizamentos.

Com o intuito de promover a reflexão de que o ser humano pode (ou não) contribuir na dimensão dos danos dos desastres, dependendo do modo que interage com o ambiente, o projeto da Feevale recebeu o nome aTUAção em Desastres Naturais. Diante do cenário atual, as intervenções pretendem fomentar o diálogo sobre temáticas ambientais e redução do risco de desastres, com grupos de escolares e ONGs, com vistas a contribuir, com a Defesa Civil municipal, para a constituição de um Núcleo Comunitário de Proteção e Defesa Civil (NuPDeC).

Com isso, é pretendido que pessoas capacitadas (professores, técnicos, moradores do entorno escolar) sejam multiplicadores e referência na comunidade em caso de desastres. Além de ampliar o nível de informação e a percepção sobre os riscos, o projeto busca desenvolver artefatos para prevenir ou auxiliar as pessoas que sofrem os efeitos dos desastres.

As intervenções atuam juntamente com diversas escolas durante o ano, além de realizar o curso de agente mirim de defesa civil, uma iniciativa que conta com a parceria da Defesa Civil e da Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo. Em 2019, já foram atendidas as Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEF) Arnaldo Grin, Presidente Campos Salles e Presidente Tancredo Neves. Em outubro, se iniciarão as atividades na EMEF Adolfina Diefenthäler. O projeto contribui em discussões sobre a temática, em outros municípios da Bacia Hidrográfica do Rio do Sinos, por meio de uma parceria com o grupo da Oficina Regional de Defesa Civil.

Habitar Legal

O contexto econômico local, de desindustrialização do Vale do Sinos, somado ao não planejamento da expansão das cidades e ocupação desordenada de áreas com fragilidades ambientais, como áreas de encosta ou de inundação, resultou no atual modelo de urbanização em áreas com riscos. De acordo com dados publicados pelo Ceped, a área de alto risco a desastres ambientais em Novo Hamburgo abrange, aproximadamente, 3.500 residências. Por meio de processos participativos, como oficinas, eventos e encontros, o Habitar Legal visa capacitar essas comunidades (representantes, grupos de mulheres, agentes de saúde e líderes) sobre os direitos e deveres socioambientais e gerar alternativas para prevenir e minimizar os efeitos dos danos e riscos de desastres ambientais.

Interface entre extensão e pesquisa

O Pead realiza atividades em conjunto com os projetos de pesquisa: Diagnóstico dos impactos ambientais e a saúde no processo de formação da cidade de Novo Hamburgo; Educação ambiental em reciclagem de resíduos sólidos urbanos; e Metodologia de avaliação e caracterização de áreas com risco de deslizamentos e inundações. As atividades também contam com a colaboração de outros projetos sociais da Universidade, como Confeitaria e Panificação - qualificação para o mercado de trabalho, Promoção da Adesão à Terapia Medicamentosa e os projetos Promoção de práticas em gerenciamento ambiental e Vivenciando a Educação Ambiental, que fazem parte do programa Educação Ambiental na Bacia Hidrográfica do Vale do Sinos.

Os projetos aTUAção em Desastres Naturais e Habitar Legal atuam em conjunto, de terça a quinta-feira, no turno da tarde. O Pead é realizado por meio da Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão da Feevale.