Equipe gestora da Região Metropolitana e Litoral Norte do Inova RS cria projetos estratégicos | Universidade Feevale

Equipe gestora da Região Metropolitana e Litoral Norte do Inova RS cria projetos estratégicos

12/11/2020 - Atualizado 10h44min

Projetos contemplam áreas prioritárias para o desenvolvimento da região

inovars

Nove projetos estratégicos foram criados, nos últimos dias, pela equipe gestora da Região Metropolitana e Litoral Norte do Inova RS. Lançado em agosto do ano passado, o programa da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia do Estado tem como objetivo tornar o Rio Grande do Sul uma potência na área de inovação até o ano de 2030, por meio de projetos que se utilizam do potencial já presente em cada região do Estado.

Dos projetos da Região Metropolitana e Litoral Norte, três são da área de Educação, três de Tecnologia da Informação e Comunicação, dois de Economia Criativa e um de Saúde. Os grupos de trabalho foram formados por profissionais com expertise em cada uma dessas áreas estratégicas. Além disso, foram criados grupos de trabalho multidisciplinares, com representantes da quádrupla hélice do ecossistema de inovação da região: universidades, empresas, governo e sociedade civil.

Após essa fase de planejamento, a Mesa dessa região do Inova RS, responsável por articular a participação das instituições e empresas nas ações voltadas ao ecossistema de inovação, irá selecionar dois projetos prioritários para serem iniciados ainda em 2020. A reunião acontecerá no dia 27 deste mês, às 10h, com transmissão pelo Facebook: facebook.com/secretariadeinovacaors.

A diretora de Inovação da Universidade Feevale, Daiana de Leonço Monzon, que coordena os comitês Estratégico e Técnico da Região Metropolitana e Litoral Norte do Inova RS, considera que essa fase foi muito rica. “Tivemos experiências e brainstorming de todas as áreas, o que foi extremamente importante para que pudéssemos nos conhecer, nos unir e gerar esse pertencimento”, afirma.

Teremos projetos prioritários, mas queremos buscar recursos para tirar todos do papel e, assim, desenvolver essa região da melhor forma possível”, complementa.