Jovens das oficinas de Audiovisual têm aula prática na Feevale | Universidade Feevale

Jovens das oficinas de Audiovisual têm aula prática na Feevale

21/05/2019 - Atualizado 10h49min
Foto: Betina Ludwig

Projeto é desenvolvido pela prefeitura de Novo Hamburgo em parceria com a Universidade

Uma aula diferente, curiosa e muito produtiva. Essas foram as definições que os estudantes das oficinas de Audiovisual deram à atividade realizada recentemente na Universidade Feevale. Workshops de TV, áudio, fotografia e roteiro foram oferecidos aos alunos dos bairros Kephas/Vila Diehl, Santo Afonso, Boa Saúde e Canudos que participam das oficinas oferecidas gratuitamente pela Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo (PMNH), por meio do Programa de Desenvolvimento Municipal Integrado (PDMI) em parceria com a Feevale. 

Divididos em quatro territórios prioritários, estudantes de quatro bairros puderam colocar em prática tudo o que já aprenderam na teoria. Os jovens chegaram tímidos no estúdio de TV da Feevale, no Núcleo de Rádio e no Espaço Cosmos, mas foram se soltando e, no final, não queriam ir embora. Foi ali que eles puderam se enxergar na tela, ouvir suas vozes e produzir uma forma de se aproximar ainda mais do mundo audiovisual. 

Para a estudante Raissa Carvalho, 14 anos, esse foi um momento único. “Em casa, a gente tem uma noção muito diferente de como funciona esse mundo. E agora eu já sei se me perguntarem. Além do que estamos vendo na oficina, colocar isso em prática já nos dá um diferencial. E, com o projeto, temos mais visão para o futuro”, disse. Já a jovem Julia Salazar, 15, contou que a oficina entrou na sua rotina pelo interesse em fotografia, mas que, hoje, todos os elementos fazem parte da sua vida. “A gente conhece um pouco de todas as áreas e vendo essas pessoas que trabalham com isso aumenta o nosso interesse. E o projeto oferece todas essas possibilidades de forma gratuita e isso é muito bacana”, destacou.

Conforme a educadora social da Base Pronasci, Mirela Souza, é fundamental os jovens terem esse tipo de experiência. “Aqui, eles podem ver de fato como funciona a parte por trás das câmeras. Eles fizeram gravações, viram como funciona a edição e, assim, foram somando com o que já sabiam”, contou. A técnica social Maria Cristina Rocha dos Santos enfatizou que a comunicação é importante e que a oficina permite que os jovens se desenvolvam tanto no pessoal quanto no profissional. “A comunicação não é algo que é abordado na grade curricular nas escolas, mas sabemos que ela é fundamental. Eles amaram e acho muito válido ter essas trocas com profissionais que já estão no mercado”, finalizou.

O projeto tem o financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

* Fotos Betina Ludwig